domingo, 19 de junho de 2011

PENSAMENTOS PARA REFLETIR

Se as pessoas nos abandonarem, a solidão será amarga, mas
tolerável, mas se nós mesmos nos abandonarmos, ela será
quase insuportável. Os que não procuram se conhecer
vivem a pior das solidões, serão sempre estranhos para si
mesmos, forasteiros em sua própria casa. Não é possível
desenvolver as funções surpreendentes da inteligência, sem
explorar nossa psique.

Muitos não se interiorizam porque têm medo de encontrar
suas mazelas, descobrir suas fragilidade, desvendar seus
medos, reconhecer sua estupidez, descortinar suas loucuras.
Quem quer se conhecer precisa em primeiro lugar ter
coragem para ser o que sempre foi, apenas um ser humano,
e como tal imperfeito e mortal.

Os coitadistas não sabem que a auto-piedade é uma
masmorra psíquica que asfixia o prazer, amordaça a liderança
do "eu" e bloqueia a excelência intelectual e emocional.
Quem tem dó de si mesmo nunca assume suas falhas,
constrói seus alicerces psíquicos no vazio, não cresce diante
da dor nem se fortalece diante das derrotas. Há mais
coitadistas na sociedade do que imagina nossa psicologia.

Não há céus sem tempestades, nem caminhos sem
acidentes. Comédia e drama, sorrisos e lágrimas, aplausos e
vaias, alternam-se na vida de qualquer um, sejam psiquiatras
e pacientes, generais e soldados, intelectuais e iletrados.

O importante não é atravessar o caos, mas o que fazer com ele.

Quem quer conquistar um grande amor tem de reciclar seu
ciúme e superar sua insegurança e seus maneirismos.
Quem deseja ser um excelente estudante e um brilhante
profissional tem de sacrificar sua preguiça e contrair seu
conformismo.
Todas as escolhas têm perda.

Quem quer não
estiver preparado para perder o irrelevante, não estará apto
para conquistar o fundamental.


Mentes Brilhantes, Mentes Treinadas

AUGUSTO CURY


O AMOR INTELIGENTE DISCURSADO PELO MESTRES DOS MESTRES

O amor inteligente é concreto, estratégico, influenciador,
relaxante e regado à generosidade. Esse amor foi
propagandeado em prosa e verso pelo homem que mudou a história.
"Amar o próximo como a ti mesmo" reflete a
excelência do amor, um amor que ultrapassa os limites da
religiosidade e entra nos terrenos mais sólidos da psiquiatria, psicologia, sociologia, filosofia e pedagogia. O Mestre dos mestres parecia aos brados expressar:

"Quem não tiver um caso de amor consigo, jamais amará
profundamente as pessoas com as quais se relaciona.
Quem é autopunitivo, não será tolerante com os outros.
Quem cobra demasiadamente de si, será super-exigente com os outros.
Quem é uma máquina de trabalhar, não respeita seus finais de semana e nem sua cama, será um propagador de
ansiedade, dificilmente ensinará quem ama a relaxar.
Quem não cuida da sua qualidade de vida, não sabe
homenagear a existência e pouco cuidará da qualidade de vida de seu cônjuge, filhos, alunos, amigos.
Quem é um carrasco de si mesmo dificilmente será generoso com os outros.
Quem despreza sua saúde psíquica e seu bem-estar, pune
quem ama por não saber o quanto é amado.
Quem enterra seus sonhos, ainda que não perceba, será um especialista em sepultar os sonhos dos outros.
Quem silencia suas lágrimas, dificilmente dará liberdade para os outros chorá-las."

MENTES BRILHANTES, MENTES TREINADAS

AUGUSTO CURY


DISCERNIMENTO

Em vários momentos de minha vida fui surpreendida com atitudes que vinham
dos outros e sinceramente me perguntava porque determinada pessoa agia
daquela forma.
Como tudo na vida existe o momento certo para entendermos determinadas coisas então comecei a estudar sobre comportamento.
Me surpreendi com o que fui descobrindo e entendi que cada ser humano é realmente uma caixa de surpresas.
O que se torna algo de enorme dimensão na vida de alguém talvez para mim não o seja, assim como minhas verdades não são as verdades dos outros e aprendi também que quase todo comportamento segue um padrão.

Como gosto muito de ler encontrei num trecho do livro Mentes Brilhantes Mentes Treinadas de Augusto Cury algo que realmente me chamou a atenção e complementou com chave de ouro parte de meus estudos.
Compartilho com vocês agora e garanto que muitos entenderão a que me refiro:

"Os que são destituídos de amor perdoam pouco, mas julgam muito;
são frágeis para abraçar, mas fortes em excluir; são lentos em se doar,
mas velozes em dar as costas. São, portanto, ótimos para conviver com máquinas, mas péssimos para se relacionar com seres humanos. E, como
seres humanos, ainda que não saibam, clamam pelo amor como o sedento 
que, em terra seca, procura por água, mas desconhece sua fonte.
Quem não desenvolve o amor inteligente, não educa o seu "eu" para ser 
gestor da sua mente, tem medo de assumir sua insensatez e de reconhecer 
seus conflitos. Nega que está doente, nega que é um ser humano. Pune-se quando erra, tem a necessidade neurótica de estar sempre certo. Pode ter
títulos acadêmicos na parede, mas falta-lhes títulos da sabedoria na alma."


Augusto Cury 



A cada dia o Universo nos dá a chance de reavaliarmos a nossa vida. Transformar, transcender, recriar, entender e mudar.
Talvez concepções, modo de agir e pensar, forma pensamento e tudo o mais que possa nos transformar em pessoas melhores.
Melhores que eu digo no sentido de enxergar o outro que é falho como eu, que comete erros como eu, que também pode se enganar como eu.
E eu o que faço com tudo isso...
Bom hoje entendo que se não houver compaixão ao lidar com a dor do outro, nada terá valido a pena e na verdade nenhuma lição terá sido aprendida.
Principalmente porque o meu eu é refletido e está refletido no eu do outro, porque o outro é o meu espelho e isso causa espanto de certa forma.
Não sou uma ilha e acredito que a tua felicidade esta interligada a minha mesmo que isso possa parecer ridículo.

Não vejo outra solução a não ser deixar de te apontar o dedo e que voce possa de alguma forma entender as minhas fraquezas e sermos solidários uns com os outros.
Se a gente quiser a gente consegue.

Ruth


sábado, 18 de junho de 2011

VÍRGULAS

Queria que as vírgulas que engoli tivessem compaixão de mim e voltassem imperceptíveis aos seus lugares. 
A vida de quem engole vírgulas é mal lida, mal interpretada... Permite versões. Permite alterações.
Sem nexo na compreensão deixa que os outros dêem a forma de qualquer vida!


TIAGO LANDEIRA


SCHOPENHAUER

Como adoro filosofia, quero compartilhar com os meus amigos do Blog um trecho escrito por Schopenhauer que fala sobre dignidade e paixão, em minha opinião muito lindo ... mas com certeza haverão controvérsias: 

"Schopenhauer assinala que a natureza humana não se distingue pela dignidade, por um conjunto de valores morais, mas pela compaixão. 

" Quid superbit homo, cujus conceptío culpa, 
Nasci poena, labor vita, necesse mori? 

(Porque há de se orgulhar o homem? 
Sua concepção é uma culpa, 
o nascimento, um castigo 
a vida, uma labuta 
a morte, uma necessidade!) 

Por isto desejo (...) estabelecer a seguinte regra: 
Com cada pessoa com quem tenhamos contato, não empreendamos uma valorização objetiva da mesma conforme valor e dignidade, não consideremos portanto a maldade de sua vontade, nem a limitação de seu entendimento e a incorreção de seus conceitos (...) mas observemos somente seus sofrimentos, suas necessidades, seus medos, suas dores. 
Assim, teremos com ela parentesco, simpatia, e em lugar do ódio e do desprezo, aquela compaixão que unicamente forma o ÁGAPE (amor) pregada pelo Evangelho." 

Schopenhauer 

Amor meus amados, não temos como fugir dele e sim nos refugiarmos nele!!! 




Paramahansa Yogananda

Deus não é um Ser mudo e insensível. 
Ele é o próprio amor. 
Se você souber meditar 
para entrar em contato com Ele, 
Ele responderá a suas amorosas demandas. 
Você não tem de implicar; 
pode exigir, como filho Dele. 

Nosso empenho deve ser 
não apenas adquirir segurança financeira e boa saúde, 
mas procurar o significado da vida. 
A vida: de que se trata?... 
Quando pensamos com suficiente profundidade, 
encontramos uma resposta em nosso interior. 
Esta é uma forma de prece atendida. 

Não deixe que ninguém o chame de pecador. 
Que importância tem o que você foi ontem? 
Você é filho de Deus, agora e sempre. 

Paramahansa Yogananda


Paramahansa Yogananda

O templo de Deus está no interior da alma. 
Entre nessa quietude e sente-se, meditando, 
com a vela da intenção queimando no altar. 
Não há desassossego, 
não há busca, nem tensão, ali. 
Entre no interior da solitude. 

O lugar mais amado por Deus 
é o templo interior de silêncio e paz de Seus devotos. 
Sempre que você entrar aqui, neste lindo templo, 
deixe a inquietude e as preocupações para trás. 
Se não se despojar delas, 
Deus não poderá vir a você. 

Não precisamos fugir para a floresta para buscá-Lo. 
Podemos encontrá-Lo diariamente 
nesta floresta de vida cotidiana, 
na gruta do silêncio interior. 

Paramahansa Yogananda 



ORAÇÃO DE UM XAMÃ

Oh Grande Espírito, sinto tua voz nos ventos, 
e tu é o alento que da vida a todo um ser criado. 
Escuta-me! 

Me apresento a ti, como um dos teus inúmeros filhos. 
Sou pequeno e frágil. 
Preciso de tua força e de tua sabedoria. 
Deixa-me andar entre as belas coisas, 
faça que meus olhos possam admirar o por do sol roxo e púrpuro. 

E que minhas mãos respeitem tudo que criastes, 
que meus ouvidos estejam atentos para ouvir tua voz. 
Faça-me sábio, para que possa conhecer as coisas que ensinastes ao teu povo, 
e as lições que tu ocultaste em cada rocha, em cada folha. 
Procuro a força, não para ser Superior a meus irmãos, 
e sim para ser hábil em combater o meu maior inimigo: 
Eu mesmo. 
Permita-me Grande Espírito, 
que esteja sempre pronto para apresentar-lhe ante a ti. 
Com minhas mãos limpas, meu olhar reto, 
para que quando a vida se desvaneça como a luz ao entardecer, 
meu espírito possa apresentar -se perante a ti sem envergonhar-me. 

© Dilene Maia 
Mataró, Espanha


A ARTE DE SER FELIZ

Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. 

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde, e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz. 

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Ás vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz. 

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

Cecilia Meireles


quarta-feira, 15 de junho de 2011

GHANDI

"Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo." 

Ghandi


A HISTÓRIA DA ÁGUIA

A águia é a ave que possui maior longevidade da espécie. Chega a viver setenta anos.
Mas para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão. Aos quarenta ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!

Então a águia só tem duas alternativas: Morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar cento e cinquenta dias.
Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.
Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. E só cinco meses depois sai o formoso vôo de renovação e para viver então mais trinta anos.

Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, velhos hábitos que nos causam dor.

Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz.



terça-feira, 14 de junho de 2011

DE JOELHOS

"Bendita seja a Mãe que te gerou." 
Bendito o leite que te fez crescer. 
Bendito o berço aonde te embalou 
A tua ama, para te adormecer! 

Bendita essa canção que acalentou 
Da tua vida o doce alvorecer... 
Bendita seja a Lua, que inundou 
De luz, a Terra, só para te ver... 

Benditos sejam todos que te amarem, 
As que em volta de ti ajoelharem 
Numa grande paixão fervente e louca! 

E se mais que eu, um dia, te quiser 
Alguém, bendita seja essa Mulher, 
Bendito seja o beijo dessa boca! 

FLORBELA ESPANCA


OS VERSOS QUE TE FIZ

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.
Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder…

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda…
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei…
E nesse beijo, amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!





SAUDADE

Saudades! Sim... Talvez... e porque não?...
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê?... Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como o pão!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!

FLORBELA ESPANCA

Inconstância

Procurei o amor que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava.
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer…
Um sol a apagar-se e outro a acender
Nas brumas dos atalhos por onde ando…

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também… nem eu sei quando…


domingo, 12 de junho de 2011

REFLEXÃO

Quando o homem explorar intensamente o pequeno átomo e o imenso espaço e disser que domina o mundo, quando conquistar as mais  complexas tecnologias e disser que sabe tudo ... terá tempo para se voltar para dentro de si mesmo.
Nesse momento descobrirá que aconteceu um grande erro.
Qual?
Descobrirá que se tornou um gigante na ciência, mas que é um frágil menino que não sabe navegar nas águas da emoção  e que desconhece os segredos que tecem a colcha de retalhos de sua inteligência.
Quando isso ocorrer, algo novo acontecerá. Ele encontrará pela segunda vez a sua maior invenção: a roda.
A roda?
Sim, só que dessa vez será a roda da emoção.
Encontrando-a, ele percorrerá territórios pouco explorados e, por fim, encontrará o que sempre procurou: o amor, o amor pela vida e pelo Autor da vida.'

AUGUSTO CURY  
(VOCE É INSUBSTITUÍVEL)


quinta-feira, 9 de junho de 2011

NÃO SE APRESSE EM ACREDITAR

"Não se apresse em acreditar em nada, mesmo se estiver escrito nas escrituras sagradas. 
Não se apresse em acreditar em nada só porque um professor famoso que disse. 
Não acredite em nada apenas porque a maioria concordou que é a verdade. 
Não acredite em mim.
 Você deveria testar qualquer coisa que as pessoas dizem através de sua própria experiência antes de aceitar ou rejeitar algo."

(Siddartha Gautama, o Buddha, Kalama Sutra 17:49)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Felicidade

Fico imensamente feliz com a presença de todos vocês em meu Blog.
Pessoas de todos os países, de todos os credos, de todas as raças, enfim,
pessoas, que amam, que vivem, que sonham, que procuram compreender
o enigma que é viver.

Fico grata a vocês pela visita e pelos e-mails.
Fiquem a vontade.
No final do Blog coloquei músicas de enlevo espiritual.
Usufruam destes momentos de paz.
Meditem, deixem que a melodia os levem a lugares distantes.
Esse é o intuito.

Aos poucos esse espaço se tornará uma forma de relax aos que os visitam.

Namaste